terça-feira, junho 27, 2006

A conversão genuína de Marina


O processo de conversão de Marina de Oliveira começou em 1982, quando ela engravidou mesmo sendo solteira. Naquela época os seus “amigos” se afastaram dela, e com isso passou a freqüentar a igreja com sua mãe, Dona Yvelise de Oliveira, e com seu pai também, o Deputado Federal Arolde de Oliveira.
“Achava legal porque ninguém me cobrava o que tinha acontecido, mas o que ia fazer dali em diante. Fiquei freqüentando a PIB de Niterói, mas sem ter uma conversão verdadeira”, diz Marina de Oliveira.
A conversão genuína veio três anos depois, na comemoração dos 25 anos de casamento de seus pais. Marina reuniu o coro de jovens junto a uma orquestra para cantar a música “Autor da minha fé”.
“Minha conversão verdadeira aconteceu naquele momento. Quando você olha dentro de si e se envergonha de tudo o que fez, você vê o seu caráter, que, no meu caso, não era caráter cristão, eu não imitava Cristo em nada. Nessa hora, ocorreu conversão mesmo”, testifica Marina. Desde então, a caminhada cristã da família Oliveira resultou nos frutos hoje testemunhados por muitos evangélicos do Brasil.
E não perca! No próximo domingo, no Conexão Gospel (às 13 hs na Rede TV!), será exibida uma entrevista exclusiva com Marina de Oliveira falando sobre o seu primeiro LP, O Imenso Amor, o qual foi o primogênito lançamento da MK Publicitá em 1987, que hoje é a MK Music.
Versão de: Diego Rodrigues