quinta-feira, abril 13, 2006

2 Décadas de Música

Imenso Amor (1986)
Produção:
Eudes Jansen // Gravado nos estúdios Som Livre e Multiestúdio(Agosto/Setembro>1986)
O primeiro disco da cantora, uma produção independente, contava com grande orquestra, coral e repertório formado quase que totalmente por versões de hits do gospel norte-americano. Várias músicas fizeram sucesso e hoje são obrigatórias nas apresentações de Marina. Entre elas, “Faça um Teste”, “Imenso Amor” e “Amor em qualquer língua”. Era o início de uma grande carreira.
Curiosidades: Este disco veio realmente com a vontade de chegar e ficar nos corações das pessoas, e conseguiu. Mas até chegar ao ponto de ser o disco mais vendido da carreira da Marina, foi muito sofrimento. Antes disso, a cantora conta que ia pessoalmente e passava de loja em loja (e somente nas principais da época, como Juerp, CPAD, pois as outras até recusavam a recebê-la) pedindo para que os gerentes pudessem ficar com alguns discos para que alguém visse e comprasse. Mas só chegou ao conhecimento do grande público, e saiu das prateleiras das lojas, quando a Rádio Melodia FM estreou em Julho de 1987, e começou tocar maciçamente as músicas de Marina. Então, o jogo foi invertido, as lojas começaram a ligar, e mais uma vez, Deus mostrou a sua glória através dessa verdadeira pérola da música gospel.

Acredito no amor (1988)
Produção: Eudes Jansen // Gravado nos estúdios Som Livre (Agosto/Setembro>1986 – Novembro/Dezembro>1987 – Maio>1988
Em seu segundo trabalho, Marina manteve a estrutura de produção do trabalho de estréia, sendo novamente acompanhada por coral e orquestra e trazendo versões para hits gospel norte-americanos e uma canção de um autor brasileiro, Marcos Santarém. O disco foi um grande sucesso, e teve músicas bem executadas nas rádios como “Foi numa linda manhã”, “Existe um Salvador” e “Rei da Glória”.
Curiosidade: Quanto à parte artística desse álbum, apenas na versão em vinil, vinha dentro do disco, um encarte dobrável em preto e branco, com várias fotos de Marina sozinha, com o produtor do Eudes Jansen, com Marcos Santarém, compositor da canção título do disco, além do back-vocal.

Canções de Luz (1989)
Produção: Eudes Jansen //Gravado nos estúdios Sigla (Som Livre) (Dezembro>1988 – Março>1989)
Este álbum traz apenas hinos evangélicos tradicionais, interpretados com reverência e emoção por Marina de Oliveira. Mais uma vez, acompanhada por uma grande orquestra, a cantora interpreta melodias como “Rude Cruz”, um medley formado por “Castelo Forte” /Rocha Eterna “/Vitória em Cristo” / “Porque Ele Vive” e “Jesus Maravilhoso” / “Jesus é Melhor”. Belíssimo disco.
Curiosidade: Este disco teve lançamento no Canecão (RJ), e fugiu bastante do estilo que Marina adotara inicialmente, que já havia agradado o público. A mudança, segundo a própria cantora já comentou em entrevistas, se deu pelo fato de na época, a mesma considerar que estava no melhor de sua carreira, onde estava no ponto alto de suas aulas de canto, e gravou canções históricas com notas que jamais pensou que pudesse atingir.
Foi o disco mais caro de sua carreira, mas de acordo com pesquisas, foi o que menos resultou em vendas.


Uma Voz do Coração (1991)
Produção: Eudes Jansen / Marina de Oliveira //Gravado no estúdio S8, da Comunidade Evangélica de Marambaia (Setembro>1990 – Março>1991)
O quarto álbum de Marina de Oliveira apresenta um cuidado ainda maior com a produção e uma cantora tecnicamente cada vez melhor. O repertório, mais uma vez bem selecionado, traz várias canções que foram sucesso, casos de “Alguém no céu me ama”, “Vamos Oferecer”, “Preciso Voltar” (essas duas, ambas em dueto com João Marcos), “Hosana” e o clássico gospel “Via Dolorosa”.

Onda de Amor (1992)
Produção: Eudes Jansen // Gravado nos estúdios Line Records (Outubro/Novembro>1992)
Este disco traz uma novidade em relação aos trabalhos anteriores de Marina. A cantora incluiu no repertório versões com letras cristãs para hits pop norte-americanos. A ousadia foi bem sucedida e o álbum teve várias músicas bem executadas nas rádios, casos de “Nunca é Tarde” (“One Moment In Time”, de Whitney Houston), “Agora Sou Feliz” (“All The Men That I Need”, também de Whitney), “Um amigo” (“You’ve Got a Friend”, de Carole King), o spiritual “Para o céu eu vou”, o rock “Eu só quero ser” e a balada “Onda de Amor”.
Curiosidade: Há quem diga que esse disco foi às lojas somente no início de 1993, quando juntamente foi lançada a turnê “Onda de Amor”, que se iniciou no fim de Março de 1993, e que em Agosto do mesmo ano, originou o disco que viria a seguir.

Marina de Oliveira Ao Vivo (1993)
Produção:
Eudes Jansen // Gravado Ao Vivo no Canecão (RJ) pelo Stúdio S8 – 16 canais A-Dat (09 de Agosto>1993)
Marina concretizou mais um sonho ao lançar este disco, gravado ao vivo durante um show realizado em Agosto de 1993 no Canecão (RJ). Em performances eletrizantes e emocionadas, a cantora reviveu todos os seus grandes sucessos, acompanhada por uma grande orquestra. Estão aqui músicas como “Eu só quero ser”, “Imenso Amor”, “Via Dolorosa”, “Foi numa linda manhã”, “Faça um Teste”, “Amor em qualquer língua”.
A versão em Cd – a exemplo dos títulos anteriores, este disco foi lançado também em vinil – traz cinco faixas extras em estúdio de canções extraídas de discos anteriores da cantora.
Curiosidade: Este disco foi resultado de um dos shows da turnê “Onda de Amor”, que aconteceu em Agosto de 1993, e inclusive foi o primeiro disco gravado “Ao Vivo” pela gravadora Mk Publicitá, hoje conhecida como MK Music, e foi marcado também com o fim do ciclo de produções com o Eudes Jansen. Na verdade, este disco só chegou às grandes lojas para a venda ao público, no início de 1994.

Momentos 1 e 2 (1995)
Produção: Marina de Oliveira / Alexandre Massena / Natan Brito / Jairinho Manhães / Pedro Braconnot / Ernani Maldonado / Paulo Madureira // Gravados no estúdio Hit (Março/Outubro>1995)
Depois de dois anos longe dos estúdios, Marina de Oliveira brindou os fãs com um disco em dois volumes vendidos separadamente. Ao todo são 23 músicas de autores bastante populares no segmento gospel como Elizeu Gomes (“E com Deus a gente vai”, “Procure por mim na Glória”, “Pai, só mais esta vez”), Ed Wilson (“Toda Glória e Aleluia”, “Basta Crer”) e Paulo Silva (“Duas Vidas”, “Deus Sabe”). A própria Marina comparece como compositora em “Não desista do seu Sonho”, “O Consolador”, “Nunca Mais”, “True love is real” (parceria com o Pr. Ernani Maldonado) e “Celebrate the Lord” (também parceria com o Pr. Maldonado, e que foi regravada dois anos depois pelo Voices).
Curiosidade: De acordo com pesquisas, esse álbum foi o mais demorado da carreira de Marina. Demorou nove meses em período de gravação e produção em geral, até ser lançado em Dezembro de 1995.

Special Edition (1997)
Produção: Marina de Oliveira / João Marcos / Natan Brito / Alexandre Massena / Pedro Braconnot // Gravado no MK Stúdios
Destinado ao mercado norte-americano, este Cd de Marina de Oliveira traz cinco faixas em inglês acompanhadas dos respectivos play-backs. As músicas são “Holy” (a única canção, onde a metade inicial da letra, é em espanhol) “Love is a fire flame”, “Look for me in Heaven”, “Jesus has made me free” e “All hail the power of Jesus”. O álbum foi lançado durante uma turnê realizada em 1997 pelos Estados Unidos, que culminou no show Sing L.A.

Coração Adorador (1999)
Produção:
Mito / Emerson Pinheiro / Natan Brito / Marina de Oliveira // Gravado no MK Stúdios (Primavera/Verão>1998)
Coração Adorador, com lançamento no início de 1999, marca, segundo a cantora, a retomada do seu processo ministerial. “Por causa de minhas atividades e do direcionamento que a carreira tomou, acabei me afastando do trabalho junto às igrejas, meu ministério ficou um tanto prejudicado”, explica a cantora.
Justamente em função disso, o disco tem similares com o primeiro trabalho de Marina (Imenso Amor, de 1986). Ou seja, é uma volta às raízes. São 15 canções, sendo duas delas versões para o português de “Jesus has made me free” (“Cristo só me dá amor”) e de “Love is a fire flame” (“Amor, chama que me une a Ti”), gravadas pela cantora originalmente no álbum anterior (Special Edition, de 1997).
Entre as inéditas, chamam a atenção “As Tuas vestes” (Emerson Pinheiro) e “Herança” (Isael dos Santos), que resgatam os valores de adoração, bem ao estilo do que a cantora fazia em seu início de carreira. Outro destaque é uma versão do “Pai Nosso” numa levada black contemporânea, com boa marcação rítmica, todas essas que são tocadas pelas rádios e lembradas por todos. Coração Adorador tem uma excelente produção, assinada pela própria Marina e pelos maestros Emerson Pinheiro (Quatro por Um) e Mito (Novo Som).
Curiosidade: Esse disco é o único da carreira de Marina que contém uma faixa multimídia, contendo o release da cantora, vídeo clipe, e a letra das músicas que compõem o CD, cada uma com um plano de fundo de acordo com a letra e estilo da canção, como fotos de Marina.
O show de lançamento desse disco aconteceu simultaneamente com a chegada dele às lojas, em 12 de Abril de 1999, na PIB de Niterói, com vários convidados especiais. O evento aguardava um público estimado em 6.000 a 8.000 pessoas, porém mais de 15.000 pessoas superlotaram a igreja, além da quadra de esportes nos fundos da igreja, e um outro salão que ambos tinham um telão cada, para as pessoas que não conseguiram entrar na igreja, acompanharem o evento. Mesmo assim, o evento ficou tão lotado que, mesmo com essas opções para assistir o evento, tiveram pessoas que se quer ali conseguiram entrar. Inesquecível...

Aviva (2000)
Produção: Emerson Pinheiro / Kleber Lucas // Gravado no MK Stúdios (Inverno>2000)
"Aviva" traz 12 faixas de muito bom gosto, algumas delas assinadas por Kleber Lucas, Elizeu Gomes e Emerson Pinheiro. A canção "Derrama", por exemplo, é de autoria de Emerson e apresenta um balanço bem pop envolvente, que resgata o clima de intimidade com o público, conquistado por Marina no inicio da carreira. O pop, aliás, é uma das características mais marcantes da cantora, que também apresenta musicas de adoração e reflexão, com interpretações sinceras e marcantes - é o caso da faixa-título. Outros destaques são "Além do Véu" e "O Amor É Demais", com participação de Kleber Lucas no vocal. Esse trabalho está diversificado, mesclando vários estilos e procurando agradar, primeiramente a Deus, claro, mas também a todo o Seu povo, independente de denominação.
Curiosidade: Pra quem não sabe, a Marina gravou este trabalho no início da gravidez de sua filha caçula, Letícia. Por conta da gravidez, a voz da cantora se mostra bastante diferente nesse cd, por sinal muito agradável. E o lançamento desse cd, aconteceu na Igreja Cristo Vive (Ap. Miguel Ângelo), quando a Marina estava gravidíssima de oito meses, o que não a impediu de cantor com todo vigor, de pular de alegria da presença do Rei, de realizar um grande evento, com direito a muito júbilo, adoração, emoção e agradecimento a Deus pelas bênçãos recebidas antes, durante e já pelas que viriam após gravar e lançar esse trabalho.

Um Novo Cântico (2002)
Produção: Kleber Lucas – Arranjos: Rogério Vieira // Gravado no MK Stúdios (Verão>2002)
“Quando uma voz clama por avivamento, por mais amor, mais poder, o céu se abre... Deus envia uma nova unção, põe em nossos lábios UM NOVO CÂNTICO e vemos a sua glória!”
A vida é mesmo um grande aprendizado. Principalmente porque existem histórias tão peculiares e especiais que nos fazem crescer a cada instante. A trajetória da cantora Marina de Oliveira é uma dessas “escolas naturais”, repleta de sonhos, emoções, alguns momentos amargos, mas, sobretudo perseverança. Esse álbum é uma grande marca de mudança na vida da cantora. Conforme a própria, significa a marca de expressão de amor na vida dela, a resposta de Deus para mais de 16 anos de oração.
Canções lindíssimas compõem esse cd, tais como “Submerge-me”, “Quero Navegar”, “Irresistível” (tradução da canção gravada originalmente por Darlene Zscherch), a contagiante “Debaixo da Graça”, todas muito bem executadas até hoje em rádios evangélicas espalhadas por todo o Brasil e cantadas em muitas igrejas. Isso sem citar a inenarrável canção “Jesus volta logo (o céu se abre)”, que abre o cd e que também foi primeira música de trabalho desse álbum. A canção deu origem ao clipe, uma superprodução feita em três dias de gravação (inclusive na madrugada), com mais de 50 pessoas participando e várias equipes trabalhando nos menores detalhes. Resultado: Merecidamente foi vencedor na edição do prêmio “Troféu Talento 2003”, como o melhor clipe de 2002, considerada por muitos como o melhor clipe da história da música gospel nacional.
Curiosidade: O disco foi lançado no dia do evento “Canta Rio 2002 – 10 anos de muito louvor” (em comemoração ao aniversário “da 93 FM”) em 24 e 25 de Maio. Depois de alguns álbuns gravados praticamente com canções de autores brasileiros, esse disco traz três canções estrangeiras: “Irresistível”(Darlene Zscherch), “Emanuel”(Raymond Badham) e “Mais amor, mais poder”(Jude Del Hiero). Um disco belíssimo, que marca em grande estilo, a volta das canções da Marina em conjuntos nas igrejas e nas rádios.

Remix 17 (2003)
Produção: Wagner Carvalho // Gravado no BMP 1000 Stúdios
Em 2001, ao completar 15 anos de carreira, Marina de Oliveira teve uma idéia: em vez de comemorar simplesmente lançando uma coletânea, ela, que sempre foi conhecida por ser uma inovadora no mercado gospel, pensou em reler seus principais sucessos na forma de remix. A intenção era trazer para os evangélicos uma tendência musical que já era comum no meio secular, mas ainda era um tabu entre os crentes. Tanto que sua gravadora, a MK Music, negou o pedido na época, por considerá-lo “arrojado demais” para o ministério da cantora. Mas em 2003, graças ao sucesso do programa jovem “Os Arrebatados” – transmitido há um ano pela rádio 93 FM, do grupo MK de Comunicação – a gravadora decidiu lançar um CD com 14 remixes dos principais artistas de seus cast. O sucesso foi tamanho que abriu as portas para Marina, dois anos depois, lançar seu próprio CD de remixes. “A minha canção que saiu no CD Arrebatados, “Coração Adorador”, foi a música de demonstração que eu fiz pra MK na época. Só que a gravadora não aprovou o projeto. Dois anos depois, a rádio 93 FM fez esse programa “Os Arrebatados” e lançou um CD de remixes, incluindo “Coração Adorador”. Com o sucesso de Arrebatados, eu tive uma abertura para chegar de novo à diretoria da empresa e pedir para lançar o Remix 17”, conta Marina.
O disco traz algumas semelhanças com Arrebatados. Entre elas, o esquema non-stop (as músicas tocando uma em seguida a outra, sem intervalo) e a mistura de ritmos, como house, rock, hip hop, pop e funk...
Curiosidade: A Marina foi uma das (senão “a”) primeiras cantoras gospel no Brasil a lançar um álbum todo remixado. Foi lançado no auge do remix brasileiro, na época em que “bombavam” também outros álbuns do estilo como “Gospel Night”, “Arrebatados”, além da banda “Renasoul” entre outros...

Créditos:

Jornalista responsável (Releases de 1986 a 1999): Toninho Spessoto
Release de “Aviva”:
http://www.marinadeoliveira.com.br/
Release de “Remix 17”:
http://www.universomusical.com.br/
Release de “Um Novo Cântico”: Programa Conexão Gospel - 30/06/2002
Elaborado por Danilo dos Santos (
danilomusic@pop.com.br)

2 Comments:

Anonymous Vinicius said...

O Blog tá show, parabéns!

4:27 da manhã  
Anonymous williane de oliveira said...

o blog está muitooooooo show mesmo marina, muito 100000000000000

quando poder dar uma passadinha no meu ok!
www.flogão.com.br/willideoliveira17
deixa lá um recadinho pra mim.
beijos.....
ass: williane de oliveira

7:36 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home